Segunda-Feira, 06 de Abril de 2020
Nota da Direção do SINDEMA sobre a Greve de 18 de Março e o COVID-19

Diante do avanço da contaminação do COVID-19, com a notificação de mais de cem casos em SP e da projeção para crescimento dos casos de notificação da doença nos próximos dias, a CUT, demais Centrais Sindicais e os movimentos populares reorientam as ações de luta do dia 18 de março.

O SINDEMA informa que a Greve Nacional em Defesa do Serviço Público que acontecerá no dia 18 de março está mantida.

Contudo, em função das orientações que visam evitar grandes aglomerações que podem facilitar proliferação do Coronavírus (COVID-19), a Assembleia agendada para dia 18 de março, às 10 horas, será adiada, e o Ato que haveria na Paulista também foi cancelado.

O DIA 18 DE MARÇO ESTARÁ MANTIDO COMO DIA DE GREVE, que é um instrumento de luta fundamental contra o fim do FUNDEB, da estabilidade, dos direitos adquiridos, dos concursos públicos, das politicas sociais.

A direção do SINDEMA também estará presente nas unidades de saúde que, por força legal e do agravamento da pandemia, estarão em atendimento, dialogando com servidores/as e a população, denunciando o desmonte do serviço público, o corte de verbas para Saúde e a falta de condições de trabalho daqueles que estão ‘na linha de frente’ do atendimento à saúde e no combate ao COVID-19.

MAIS DO QUE NUNCA, DIA 18 DE MARÇO É DIA DE GREVE EM DEFESA DA EDUCAÇÃO, DA SAÚDE E DO SERVIÇO PUBLICO!

Nossa mobilização será também através das redes sociais, onde convidamos todos/as os/as servidores/as a denunciar os ataques do governo aos serviços públicos e às políticas sociais.

A Direção do Sindema irá também reivindicar junto a Administração Municipal a constituição de Comissão com Representantes do Sindicato e do Governo para definição de ações que visem tanto à garantia dos direitos e remuneração de todos/as os trabalhadores/as (Frente de Trabalho, RPA’s e demais contratados) eventualmente afastados dos locais de trabalho por suspeita ou confirmação de contaminação pelo vírus.

Vamos exigir medidas efetivas de redução da propagação dessa doença nos locais de trabalho através do fornecimento de produtos de higiene e proteção individual, definição de condutas especificas para servidores com maior vulnerabilidade seja pela idade e/ou em função doenças pré-existentes, além de buscar definir de forma conjunta ações de contingência em locais de trabalho que venham a ser diretamente afetados por casos da doença.

Só a classe trabalhadora organizada e em luta pode combater e derrotar todos os vírus do neoliberalismo que mata direitos e preservar as vidas do povo e o futuro do país!


Imprimir   Enviar para um amigo

Comentários

*Nome:
*Email:

*Comentário:

Seja o primeiro a comentar!

Vídeos
Estação