Segunda-Feira, 25 de Maio de 2020
A falta de equipamentos de proteção individual (EPIs) adequados, falta de álcool gel e outros insumos continua sendo uma realidade nos equipamentos de saúde e demais serviços essenciais

De acordo Boletim publicado pela Prefeitura Municipal, na última 6a feira, dia 3 de abril, Diadema tinha 39 pessoas internadas em estado crítico ou grave, 364 casos investigados e 4 profissionais da saúde com sintomas de COVID 19. Nos Boletins diários publicados pela Administração Municipal desde o último sábado, a PMD passou a ocultar a informação sobre o número de profissionais da Saúde que apresentam os sintomas.

Até o dia 03 de abril, no município de São Paulo, 5 profissionais da Saúde vinculados à Prefeitura de SP já perderam a vida em serviço.

Em Diadema, à medida que a pandemia avança, cresce a preocupação dos/as servidores/as públicos/as municipais e de parte da população que não estão vendo ações da Administração Municipal para aumentar concretamente o número de leitos, orientar a população, cobrar a imediata implementação da renda básica aos/as trabalhadores/as informais, pressionar o governo do estado para isentar a população de baixa renda do pagamento das tarifas de água e luz e tantas outras providências necessárias para a população de Diadema.

O que vimos durante essa semana foi o Prefeito passar o tempo nas redes sociais, propondo enquetes cujos resultados podem conduzir nossa cidade a negação das orientações da Organização Mundial da Saúde, dos especialistas e da ciência, desrespeitando o trabalho heróico e arriscado dos/as servidores/as da Saúde, Defesa Social, Assistência, e também do transporte, dos supermercados, farmácias e de todos os serviços essenciais, sejam públicos ou privados.

O SINDEMA reafirma a falta de equipamentos de proteção individual e EPIs adequados, falta de álcool gel e outros insumos continuam sendo uma realidade nos equipamentos de saúde e demais serviços essenciais. Muitos/as profissionais tem comprado EPIs (máscaras, aventais, luvas, sapatos e outros) e insumos do próprio bolso, para garantirem proteção adequada.

A Prefeitura segue com falta de pessoal, EPIs adequados e material de limpeza, além de termos ainda Profissionais do grupo de risco trabalhando na Defesa Social e outras secretarias que estão fazendo o atendimento à situação de emergência. Na Secretaria de Saúde, apenas a partir de 26 de março os/as servidores/as do grupo de risco começaram a ser afastados do “front” e mesmo assim estão sendo destinados a atender na “retaguarda”, de acordo com a publicação da Portaria 02/2020 de 26/03/2020.

Desde o dia 13 de março, a Direção do Sindema vem cobrando da Prefeitura de Diadema condições de trabalho e denunciando a falta de insumos básicos para os equipamentos públicos e para a proteção dos/as servidores/as dentre outras importantes reivindicações frente a Pandemia COVID-19 (Ofício 42, de 13/03/20; Ofício 44, de 16/03/20; Ofício 61, de 18/03/20; Ofício 62, de 24/03/20; Ofício 63, de 24/03/20; Ofício 66, de 02/04/20).

Apenas em 27 de março, a Administração Municipal respondeu por meio do Ofício 041/2020 GP, que em que pese todas as dificuldades de fornecimento de insumos, “os EPIs são fornecidos mediante protocolos definidos pela Secretaria de Saúde, baseados em normativas da ANVISA e OMS”.

Esses motivos nos levaram a ingressar em 26/03/2020 com denúncia no Ministério Público do Trabalho e com ação na Vara da Fazenda Pública de Diadema. Como em praticamente todas as outras ocasiões, o judiciário de Diadema não concedeu a liminar pleiteada pelo Sindema.

O Ministério Público do Trabalho notificou a Prefeitura a se manifestar frente as denúncias e também determinou o envio das denúncias ao CEREST Diadema solicitando a inspeção urgente nas Unidades de Saúde e se for o caso, adoção de providências necessárias.

O SINDEMA seguirá firme na luta pela vida dos/as trabalhadores/as da Prefeitura e de toda a população exigindo segurança, condições de trabalho e valorização da vida.

Repudiamos a atitude da Prefeitura de desqualificar e punir funcionários/as que fazem denúncias individuais e reafirmamos que os/as associados/as ao Sindema tem direito à assistência jurídica em todas as fases de processo administrativo e judicial.

Continuem enviando denúncias, fotos, vídeos, o Sindicato garante o anonimato e a proteção dos/as servidores/as. Isto é muito importante para prosseguimos na luta.

Os/as trabalhadores/as da saúde pública e dos serviços essenciais de Diadema querem condições dignas e seguras de trabalho para salvarem vidas. Querem também voltar para suas casas sem o risco de adoecerem e sem expor suas famílias à contaminação.

Vamos à Luta! Juntos/as somos fortes!

SINDEMA | Sindicato dos Funcionários Públicos de Diadema


Imprimir   Enviar para um amigo

Comentários

*Nome:
*Email:

*Comentário:

Seja o primeiro a comentar!

Vídeos
Estação