Terca-Feira, 05 de Julho de 2022
Municipais de Diadema não vão abrir mão da reposição da inflação nos salários e, no dia 19 de maio, vão parar e exigir que o governo Filippi cumpra o acordo firmado em 2021!

Esta foi a decisão das servidoras e servidores na assembleia-geral que lotou a sede do sindicato, nesta quarta-feira (11)

Durante as três reuniões da Mesa Permanente de Negociação Coletiva, a direção do Sindicato dos Funcionários Públicos de Diadema pautou a situação dos funcionários da Prefeitura de Diadema que estão vendo a cada dia seus salários serem corroídos pela inflação e a reivindicação da categoria de reajuste salarial para a reposição das perdas. Porém, a ADMINISTRAÇÃO não fez proposta para a REPOSIÇÃO DA INFLAÇÃO NOS SALÁRIOS e quer impor arrocho salarial ao funcionalismo!

A PMD propôs, em resposta à pauta econômica da Campanha Salarial 2022, depois de muito debate com o SINDICATO, apenas o reajuste de 30% no vale-alimentação e o enquadramento das agentes de Cozinha I na referência salarial II, com salário base que passariam de R$ 1.313,55 para R$ 1.422,60. Esta proposta, ainda que represente algum avanço, não corresponde à principal reivindicação do conjunto da categoria l, que é a reposição salarial.

Por este motivo, as servidoras e servidores que compareceram na ASSEMBLEIA, REJEITARAM A PROPOSTA DO GOVERNO, DECIDIRAM QUE VÃO À LUTA PELA REPOSIÇÃO DA INFLAÇÃO E APROVARAM A PARALISAÇÃO NA QUINTA-FEIRA, DIA 19 DE MAIO. ESTÁ NO ACORDO 2021! FOI O COMPROMISSO QUE O PREFEITO FILIPPI ASSUMIU COM A CATEGORIA!

As servidoras e servidores cobraram o compromisso que o prefeito Filippi assumiu com a categoria, no ACORDO DA CAMPANHA SALARIAL 2021, de “aplicar reajuste linear mínimo de 2% em julho e 2% em outubro” e a “intenção de aumentar esses percentuais dependendo do comportamento das receitas”, conforme consta no ofício GP nº 090/2021, de 23 de junho de 2021.

Se, naquele cenário, em junho do ano passado, quando a projeção da inflação para o ano de 2022 era bem inferior aos índices de hoje, havia a previsão de aumento dos percentuais de reajuste de 2% em julho e 2% em outubro, por que agora, na data-base de março, quando a inflação ultrapassou todas as previsões chegando a 10,8% e registramos o maior crescimento inflacionário dos últimos anos, o governo quer impor arrocho salarial ao funcionalismo público?

17,69% foram as perdas da inflação acumulada no período do governo Filippi pelos servidores:

• Campanha Salarial 2021 (março/2020 a fevereiro/2021): inflação de 6,22%
• Campanha Salarial 2022 (março/2021 a fevereiro/2022): a inflação de 10,8%


DIADEMA FECHOU 2021 COM O MENOR PERCENTUAL DE DESPESA COM PESSOAL EM RELAÇÃO À RECEITA CORRENTE DESDE 2008 (LRF). De acordo com os dados do último Relatório de Gestão Fiscal publicado no início do ano, a despesa com pessoal da PMD fechou 2021 representando 42,19% da Receita Corrente Líquida: a Receita Corrente Líquida da PMD foi de R$ 1.276.560.270,49 e a Despesa com Pessoal foi de R$ 538.534.188,66.

Ou seja, a receita cresceu e a despesa com pessoal caiu em relação à Receita Corrente Líquida ao menor patamar apurado pela Lei de Responsabilidade Fiscal desde 2008 na PMD, muito abaixo dos 51,3% do limite prudencial imposto pela LRF.

Para as servidoras e servidores públicos municipais, deixar de repor a inflação quando existe “margem” legal e previsão em ACORDO para reposição das perdas salariais, é negar o DIREITO do funcionalismo a um salário que, no mínimo, garanta sua condição de sobrevivência!

É pelo direito a REPOSIÇÃO DA INFLAÇÃO, CONTRA O ARROCHO SALARIAL que vamos à LUTA! FAÇA SUA PARTE! PARTICIPE! JUNTOS SOMOS FORTES!


Imprimir   Enviar para um amigo

Comentários

*Nome:
*Email:

*Comentário:

Seja o primeiro a comentar!

Vídeos